13.8.12

Do devir

Muitas portas abertas,
Uma escolha:

Não há corda
Que leve de volta
Ou migalhas de pão
Que marquem os passos

Mesmo que houvesse,
Corda arrebenta
Pão alimenta
Quem passa atrás nesta estrada -
A sua porta também é de alguém.

Insegurança:

Não há planos,
Garantias,
Fins e linhas
Retas curvam

Sou criança:

Nada sei
E é só isso que eu sei.

Silencio:

Ouço as músicas
Arrepio
Movo os pés
Na corda bamba -

A vida é uma dança.


Rebeca dos Anjos

3 comentários:

Daniela Delias disse...

Rebeca, saio daqui leve...
O verso final é um arraso, como a guriazinha da imagem!

Beijo, beijo

Lu Rosário disse...

Ao ler sua poesia, lembrei-me do livro Corda Bamba.. antes mesmo de chegar ao ultimo verso. Você já leu esse livro? Ele é de Lígia Bojunga, uma delícia de ler!

Como sempre, li maravilhada!
Deixo aqui meu Tumblr, onde encontram-se minhas leituras da literatura infanto-juvenil:
http://entrelacamentos.tumblr.com

Beijos!

Dolce Vita disse...

Gostei muito de conhecer tuas letras.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...