13.9.12

Sem cabimento

Eu caibo no buraco da ausência
Quando ando na distância.

Buraco fundo
Cava profundo
Tropeça
E cai(b)o.


Rebeca dos Anjos

3 comentários:

Lázara papandrea disse...

um pequeno grande poema! beijos

Lu Rosário disse...

São poucas as palavras para dizer o mundo - seu e de outros alguéns.

Beijos.

Nadine Granad disse...

O que não cabe, coube tanto!...

Beijos =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...