14.11.12

Arma-dura

Quis dançar
Tirou o vestido
Vestiu armadura:

Dois pra lá
Dois pra cá

Ninguém pra abraçar
Um monte de ferro
As mãos que não tocam
Só suam por dentro
As mãos que não largam a lança
Nem pra dançar

Dois pra lá
Dois pra cá

O barulho da nova roupa
Abafa a música
A cintura dura
Os joelhos não dobram
Os cotovelos machucam
Não há um decote
Nem no olhar

Dois pra lá
Dois pra cá

.
.
.

Um pra lá
Um pra cá.


Rebeca dos Anjos

Um comentário:

Marco Rocca disse...

Num embalo de uma dança, a profusão de sentidos, a paixão, o amor, se estampa... Lindo poema amiga!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...