14.1.13

Do mistério

Há uma poesia no meio do nada
Ou no meio da tralha que observo ali

Há, quem sabe, um verso perdido,
Suculento e proibido
Que por aí anda escondido
Fazendo estrondosos silêncios que eu não vi

Talvez seja na batida do peito
Que dói num quarto escuro
Que o verso mudo
Se muda e me muda daqui

Mas talvez seja um nada
Só um pedaço de letra rasgada
Que faz pedaços das sobras de mim

Rebeca dos Anjos

3 comentários:

Fabio Rocha disse...

Belo!

Nadine Granad disse...

Belo [2]!!!

Beijos =)

Diego Ramos disse...

Simplesmente espetacular este poema! Quero deixar meu elogio aos seus textos, meus sinceros parabéns!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...