16.3.11

Canção Amiga

Foram em letras passadas que identifiquei escassez de fantasia naquilo que chamo de minhas histórias reais. Recordei a canção escrita e nunca tocada, a admiração que nutro por urubus, os dias de amor correspondido ou de pedras pesadas sobre os pés.

Meu eu, o lírico, ressequido, gritou sobre palavras de amor e eu ouvi, como sussurro de vento.

Dos pensamentos para vida, num sebo feito em banca de jornal, em frente a escola de música, senti que encontraria alimento quente para os sonhos. Encontrei. Não só nas "Travessuras da Menina Má", mas em papo de esquina com um moço barbudo que, em prosa, declamou Drummond:

"Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça,
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
que passa em muitos países.
Se não se vêem, eu vejo
e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo
como quem anda ou sorri.
No jeito mais natural
dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
e tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças "


Uma Canção Amiga da vida, de vida.

3 comentários:

aline disse...

Esse poema é lindo e inspirador, nos permite ser sonho em meio à séria realidade.

E quanto ao meu blog, não o vejo como um blog comportamental..mas sim que tenha a ver com as pequenas fases em minha vida. Da mesma forma que tenho escrito textos com temáticas sobre sexo, amanhã posso estar escrevendo poesia,tal como antes..rsrsrs

Eu ainda não me reconheço e mal me encontrei...rsrs *

Adoro suas visitas.

Beijão.

Lu Rosário disse...

Amigan, este comentario acima é meu.. de Lu Rosário.
Comntei com o login errado, desconsidera..rs

Beijos!

Fabio Rocha disse...

(suspiro)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...