21.9.12

Cesta (de) Feira

Escrevi poemas na beira da morte:

Morri de alegria
Na beira do abismo
De onde eu vi gaivotas.

Ah, as gaivotas!
Lembram-me gaiatos
Que lembram-me os gatos
Pulguentos
Do prédio onde morei

Sem gaivotas ou gaiatos
Só urubus nada engraçados
Na beira da janela
De onde eu não me joguei -

Poetas só caem de abismos
Abismados
Com a beleza

Malucos;
Belezas.


Rebeca dos Anjos


6 comentários:

Fabio Rocha disse...

nhaaaaa

amaplataaa

Rebeca dos Anjos disse...

Nhaaaaaaaa

Hahahahahahahahahahahahahahahahahahhahah!

Lu Rosário disse...

Perfeito, Beca. Perfeito!

E adorei a mudança no layout do blog, bem como o destaque ao seu nome*

Beijos.

Rebeca dos Anjos disse...

Obrigada, Lu! :)

Beijinhos!

Hodierno Horácio disse...

Não estão os poetas habitando abismos?

Abraço

2edoissao5 disse...

nas asas da poesia a festa de viver!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...