16.10.12

De verão

O tempo fechou
Minha chuva alagou
Os caminhos por dentro de mim:

Tempestade em copo d'água. 

Bebo tudo.

A sede não passa.



Rebeca dos Anjos



3 comentários:

Lu Rosário disse...

Preciso reler e reler.. porque ando alagada por dentro e vivo com sede.

Beijos.

Paulo Sotter disse...

Como bem diz a letra do Djavan "Nem que eu bebesse o mar / encheria o que eu tenho de fundo" Um abraço!

Erica de Paula disse...

sei dessa sede tb amora!!

lindo poema!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...