9.9.12

Sobre florestas

Nó na garganta é,
De fato,
Palavra entalada
Alma cheia
Do que deveria
Encher o mundo.

Quem silencia sabe:
Árvores crescem dentro
Muitos galhos
Folhas verdes
(tom escuro)
Raízes invadem
Órgãos na altura do estômago
(Se mais profundas,
Na altura de onde brotam as vidas)
Até que surgem as flores
Desabrochando nós na garganta
Poemas, contos ou palavras apenas
Às vezes só letras
Ou pontuação

Em indeterminada estação,
Das flores surgem sementes ao vento
Letras soltas,
Sem asas,
Adentram os ouvidos
Do próximo a silenciar.

A palavra é um ciclo -
O silêncio decide
A letra que vai germinar.







Um comentário:

Lola disse...

Adorei imaginar a árvore/poesia crescendo, florescendo, frutificando...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...