26.2.13

(A)Temporal

No fim
Nos resta nós mesmos
E o que de bom vivemos
Se esquecemos os momentos maus.

No fim
Desaparecemos
Sem saber se existimos
Sem saber se foi destino
O que se cumpriu.

Me vejo:

A gota de chuva
Que bate no vidro
E se desfaz.

Rebeca dos Anjos


5 comentários:

Milene Cristina disse...

Simples e profundo, traduziu como estou hoje.
Como ficar sem ler Rebeca? Beijo!!

Rebeca dos Anjos disse...

Obrigada pelo carinho, Milene! Beijo!!

Milene Cristina disse...

Sempre, beijo!

Paulo_Sotter disse...

Essa noção de finitude deve estar presente para que possamos entender que a vida é breve não se guarda tempo. Excelente tema e linda poesia. Abraços

Rebeca dos Anjos disse...

Obrigada, Paulo! Abs!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...