6.3.14

Acordei com sede
E mantive a boca seca
Para que as letras saíssem úmidas:

Minha pele fria,
Quando arrepia,
Sua letras
Pinga letras
Que aqui inundam.

Acordei com energia
E por isso mesmo
Mal levantei da cama:

Eu gosto de sentir a força que se acumula
Na altura do umbigo
E que explode em sentidos
Sem que eu me mova;

Eu gosto de me sentir possuída
Pela poesia que comigo dança:

Me sinto instrumento,
Um tormento,
Um momento de arte,
Desabafo que arde,

Um grito alto
Para não rimar.


Rebeca dos Anjos


Um comentário:

Marco Rocca disse...

Tens um talento ímpar. É muito gratificante te ler, principalmente eu, que amo a poesia.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...