22.10.11

Correnteza

Livre!
Com peso de isopor
Caminho com ardor
Pela estrada
Aberta!
Ao que vier
Se o que vier
For água

Pois que com liberdade
Não são asas o que crio
Mas nadadeiras.

Aventureiras nadadeiras.






'Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome'.
Clarice.

5 comentários:

Nadine Granad disse...

Que delícias os seus escritos!

Adorei!

Abraços carinhosos =)

Raphael Grizotte disse...

Muito leve mesmo 'Pode correr por onde quiser seus poemas chegam ao oceano'

Ana Rita Profirio disse...

Suave, Lindo cheio de paz! È o transmite seus poemas para mim!
Uma semana muito linda para ti!

Sookie disse...

Que bonito!!! E que gostoso! Acabei de postar, vim te visitar, e que engrançado que rolou tipo uma sintonia!

O Profeta disse...

Senti nos pés o pulsar da ilha
Um farol avisa o longe do perto
A lava encoberta na costa dormente
Sete rumos e apenas um certo

Neste Mar senti a vontade de prantear
A nudez da noite no encontro do silêncio total
Encobriu meu pranto das estrelas
Uma zombeteira Lua marcou no dia o encontro final

Mágico beijo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...