2.1.12

O que me navega é amar



Sobre a dor da saudade de instantes, aquela que esmaga o peito nas despedidas, eu sei.

Assim eu faço: 
Cada porto um lar, um (a)mar.
Na saudade eu acho concha. 
De cada reencontro nasce uma pérola. 

(São preciosas, 
cada uma delas).




Rebeca dos Anjos

6 comentários:

Elisa Cunha disse...

E com pérolas formamos um belo colar...

Lindo!
Bjs

Vinicius disse...

Lembrou-me do Rubem Alves que diz que ostra feliz não faz pérola.

Abraço

Fabio Rocha disse...

S2

Grande Distração disse...

Gostei muito sempre se supera né. beijos...
http://wandersondosreis.blogspot.com/

Raphael Grizotte disse...

Sinto que são negras as minha,saudades profunda desse seu mar menina.Meus parabéns,pela linda forma de ver a saudade!

Samara Veras, disse...

lindo!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...